A durabilidade da bike é uma das principais preocupações de quem costuma pedalar com frequência, e os cuidados com ela são tão importantes quanto os equipamentos de proteção. E claro, uma boa revisão pode te salvar de muitos apuros e livrar de acidentes. 

Para te deixar alerta, aqui você vai encontrar dicas valiosas sobre a manutenção da bike. 

Assim como todo meio de transporte, seja ele carro, moto ou a bicicleta, é necessário estar atento a segurança do usuário. Alguns contratempos podem ser evitados e fáceis de resolver. Além do mais, um problema que aparentemente é pequeno, pode se tornar grande e trazer dores de cabeça desnecessárias. 

Pedalar, para algumas pessoas é apenas um lazer, para alguns um meio de transporte, e outros profissionalmente e como estilo de vida. Mas todos devem ter o cuidado de revisar a bike, pois assim podem aumentar o tempo de vida dela, dos equipamentos, diminuir o risco de quebra das peças e economizar em gastos indesejados. 

Corrente, cassete, canote, pé de vela, caixa de direção, freios e câmbio. Muita coisa para lembrar, não é mesmo? A bicicleta tem várias funções que merecem atenção, para iniciantes no mundo do ciclismo, algumas podem até confundir, mas de uma coisa é certa, todo ciclista deve saber a importância que a manutenção tem para a bicicleta. 

Quando levar a bike para revisão? 

De modo geral, a bike irá dar sinais claros quando algumas peças não estiverem 100%. Sinais esses que não devem ser ignorados. 

Um ponto importante, é que a maneira que você usa sua bicicleta influencia na frequência de revisão. 

Se você pedala em áreas urbanas e usa a bike apenas como meio de transporte, o ideal é que você faça manutenção a cada 6 meses. 

Porém se você curte trilhas com frequência, disputa provas e atividades que exigem mais da bicicleta, é recomendado que a revisão seja feita religiosamente a cada dois meses, ou até menos. 

Lama, barro e pedregulhos influenciam no desgaste das peças, então esse período para dar um trato na bicicleta é de extrema importância para evitar acidentes. 

Fique de olho, observe barulhos e trepidações estranhas e anormalidades. Se necessário, encoste a bike numa oficina de confiança. Nessas situações, é melhor contar com a ajuda de profissionais qualificados, que trabalhem com infraestrutura e conhecimento para deixar sua bicicleta em dia.

Não faça isso em casa 

Pode parecer simples, mas só parece. Arriscar fazer manutenção da bicicleta em casa pode custar caro. E não apenas no bolso, qualquer peça que você tente mexer sem conhecimento pode render em dores de cabeça. 

Por exemplo: um simples cabo de freio que se rompe pode causar um grave acidente. 

É como diz o ditado, o barato pode sair caro! Não economize quando se trata da manutenção da sua bike. 

Pontos de atenção para você não errar 

° Nunca mexa em peças que você não conhece e que exigem ferramentas que você não tem. 

° Não tente regular as marchas em casa. Esse é um serviço chato, e se você mexer sem antes consultar um profissional, pode comprometer toda sua relação com a bike. 

° Não mexa nos freios hidráulicos. Esse trabalho exige a atenção de um especialista. O ideal é sangrar os freios uma vez por ano. 

° Não desmonte sua bicicleta para concertar a suspensão. Procure um mecânico especializado em suspensão de bike para avaliar o problema.   

Na dúvida, não arrisque, sempre procure um profissional. 

Mas você também pode contribuir com o tempo de vida da sua companheira de aventuras e começar com revisões preventivas e regulares em casa. 

Como cuidar da bike em casa 

Existem alguns cuidados específicos que podem contribuir com o tempo de vida da bike e evitar problemas no futuro. 

Mantenha a bicicleta limpa: lavar a bicicleta com água e sabão neutro e secar com um pano macio. Uma esponja suave também pode ser usada para ajudar na limpeza dos resíduos. Faça isso periodicamente. 

Calibragem: mantenha os pneus sempre cheios, com a calibragem correta. Veja aqui sobre bombas de ar. 

Guarde a bicicleta em ambientes fechados: tão importante quanto a limpeza, é manter a bike em locais fechados e secos. Livres de umidade, sol chuva e demais agentes oxidantes ou corrosivos. 

Utilize Lubrificantes: lubrifique com óleo – de forma maneirada – os componentes da bike, como catraca de marchas, corrente, pedais e os rolamentos na parte externa para evitar oxidação. Nesse ponto, você sim lubrificar em casa, mas em caso de dúvidas, é melhor prevenir do que remediar, busque um profissional.  

Vale lembrar 

Algumas peças não necessariamente estragam, ao ponto de atrapalhar a pedalada, mas se desgastam ao longo do tempo, e podem afetar a performance do ciclista. Essas são as correias, cassetes, cabos de freios, pneus e rodas. 

Você pode monitorar a vida útil desses acessórios através da quantidade de quilômetros rodados. 

° Correntes: em média de 2.700 kms 

° Cassete: 12.000 kms 

° Pneus: ao observar alguma deformação significativa na superfície e o apagamento acentuado das ranhuras fique alerta. Normalmente pode percorrer uma média de 5000 km em ambientes off road e até o dobro na cidade. 

° Pastilhas: ao sentir uma aderência menor ao frear, considere trocar a peça, além de baratas, são essenciais para sua segurança. 

Caso tenha dúvidas, sempre que mandar a bike para a revisão, o profissional deve medir o desgaste dessas peças.

Manter a vida útil da sua bike, não só é uma das melhores formas de economizar, como também, aumentar em muito a sua performance no pedal. Fique atento e deixe sua bike em dia sempre que necessário. Faça a manutenção!

Saiba também quais os principais erros na manutenção da bike e como evitá-los. Clique aqui!

Leave a Reply